jusbrasil.com.br
22 de Abril de 2019

[DEBATE] Liberação de armas de fogo poderia minimizar o massacre ocorrido em Suzano?

Deixe sua opinião nos comentários.

Conteúdo Legal, Administrador
Publicado por Conteúdo Legal
mês passado

Na última quarta-feira (13/03), uma discussão calorosa voltou à tona e dividiu a opinião da sociedade brasileira. O massacre em uma escola de Suzano, na Grande São Paulo, reviveu o debate a respeito da política de flexibilização da posse e do porte de armas. O ataque deixou dez mortos, incluindo os dois atiradores, e 11 feridos.

Vale lembrar que, em janeiro, o presidente Jair Bolsonaro assinou um decreto que alterou as regras que facilitam a posse de armas de fogo. Posse, nesse caso, refere-se à possibilidade de o cidadão guardar o equipamento na residência ou no estabelecimento comercial de que seja dono.

Tudo indica que o próximo passo do atual governo seja na direção de flexibilizar e de ao porte de armas, permitindo que cidadãos circulem pelas ruas, por seus trabalhos, por bares, com suas armas de fogo legalmente adquiridas.

Alguns entendem que o ocorrido em Suzano nos permite uma breve experiência relacionada à flexibilização da posse e porte de armas, pois representa um passo perigoso rumo ao aumento de homicídios e suicídios.

Para outros, chacinas como a de Suzano são fatos isolados sem qualquer relação causal com o fato de a legislação brasileira ser mais ou menos permissiva.

Afinal, qual é o seu posicionamento sobre a flexibilização do porte e da posse de armas de fogo?

Deixe sua opinião nos comentários.

108 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

O Estatuto de Desarmamento é um fracasso em si. Bandidos nunca se sentiram intimidados por portar armas ... pelo contrário ... com "intelectuais" de esquerda pregando a "lógica do assalto", políticos chamando bandidos de "vítimas da sociedade" e até uma magistrada de SC soltando um traficante que foi preso com um Fuzil AR-15, alegando que ele não represneta risco para a sociedade, a exemplo de uma.jornalista da Globo News, o que poderíamos esperar?

A própria OAB defende o porte de armas em favor dos seus, sob a alegação de riscos da profissão. Mas qual profissão não tem risco de violência hoje em dia? Que tal falarmos do pequeno comerciante de uma favela?

Lembrou Reinaldo Azevedo, em 2011, após o Massacre de Realengo que,

"Se circulação legal de armas faz o crime, digam-me por que, nos EUA, matam-se 6 pessoas por 100 mil habitantes (apesar de seus atiradores malucos, que Dilma disse não ser “característica” nossa), e, no Brasil, onde comprar uma arma é dificílimo, são quase 26 os mortos por 100 mil. A propósito: um homem decente que queira comprar uma arma registrada no Brasil tem de provar que não é bandido. Um bandido, que não precisa provar ser um homem decente, compra arma ali na esquina." continuar lendo

A única forma eficaz de diminuir a violência é investindo em educação (cultura, arte, lazer) e geração de empregos.

A lógica de diminuir a violência investindo em armas é milenar e nunca deu certo. Os EUA tem armas liberadas e a maior população carcerária do mundo.

Se os assassinos de Suzano tivessem mais armas haveriam mais mortes, uma vez que apenas um tinha arma de fogo.

A ideia de armar professores beira a irracionalidade. continuar lendo

Não faça distorções, Reinaldo Azevedo já se posicionou claramente contra o porte de armas, ele até comparou esse mesmo Estados Unidos, porém com países de mesmo nível socio-econômico, como os países de primeira linha da Europa, como na Alemanha, onde a taxa de homicídio é muito menor do que nos EUA, sem falar da discrepância diferença na população carcerária. continuar lendo

Mais uma vez o @nelsoncapeleti vem propalar suas falácias desarmamentistas por aqui. Que lástima.

"Se os assassinos de Suzano tivessem mais armas haveriam mais mortes, uma vez que apenas um tinha arma de fogo."

Os assassinos não tinham mais armas simplesmente porque não quiseram, dada a extrema facilidade de se comprar uma arma ilegal hoje no país do desarmamento.

Sobre a ideia de armar professores, a priori sou contra (com exceção de militares, policiais, etc). Prefiro que se militarizem as escolas, primeiro por que são de excelência inquestionável, e segundo por que professores militares andam armados, a escola é guarnecida por militares, etc. Alguém já viu massacre em escola militar? Eu mesmo desconheço. O mesmo ocorre em Israel onde cada escola só tem uma porta de entrada, que é a mesma de saída, e esta é guarnecida por um militar armado. Lá também não existem massacres do tipo.

O que precisa ser feito é parar com esta baboseira de culpabilizar objetos inanimados e inocentar os verdadeiros culpados. Não há um pingo de racionalidade em distribuir a culpa a não ser para o lunático assassino que não liga nem para a própria vida a ponto de ceifá-la após o ataque, ou de matar o próprio tio em função de uma recusa da pessoa. O massacre ocorreu única e exclusivamente por causa de ordem humana, psíquica e pessoal, e não por que um adolescente psicótico jogava videogame ou gostava de armas.

Eu jogo exatamente o mesmo jogo que ele, PUBG mobile, tenho 30 anos e convivo com armas desde os 5 anos de idade, ou seja, antes mesmo de aprender a ler eu já sabia atirar com armas de fogo, e nem por isso eu matei alguém ou mataria por puro prazer de fazê-lo.

Parem de inocentar os culpados e culpar os inocentes.

Foi dando ouvidos a este tipo de conversa fiada que alcançamos o topo mundial dos homicídios, isso no país do desarmamento...

Já chega desta bandidolatria assassina e de propagar essa ideia de que arma atira sozinha. Isto, sim, que é irracionalidade. continuar lendo

Vitor Roseno,

Distorções não. É fato que ele pronunciou desta forma, basta ler. Outrossim, hoje sabemos que ele defende a esquerda e, óbvio, adequou seu discurso às pautas exigidas.

Ademais o que importa é o direito de escolha do cidadão e não a imposição estatal que impede que um cidadão possa exercer seu direito legítimo de defesa. Ninguém vai se dar ao trabalho de passar por toda a burocracia estatal para cometer um crime, ou como o Reinaldo disse é só comprar arma na esquina.

E isso não se deve à falta de educação, pois o número de ricos que cometem crimes é imenso. Garanto-lhe que para a maioria deles não faltaram boas escolas e famílias bem estruturadas. A questão é cultural, o que é diferente de educação.

Nos EUA isso se dê em torno da cultura do medo pregada lá e não por falta de educação e nem pela posse de armas.

Devemos lembrar que quem quis investir em educação de base foi demitido por telefone (Cristovam Buarque). continuar lendo

Vítor, não sei a comparação do Reinaldo Azevedo, mas a Alemanha figura entre os países com mais arma de fogo por 100 mil habitantes. Tal como outros países europeus “de primeira linha”. E os índices de criminalidade são baixos, demonstrando, mais uma vez, que a correlação “mais armas, mais mortes” não é válida empiricamente.

Quanto a população carcerária dos EUA, o número elevado de presos advém de um histórico de combate a um índice elevado de criminalidade. Não tem nada a ver com arma de fogo, até porque a posse e o porte são iniciativas de auto-defesa ou defesa de terceiros, e não política de segurança pública. continuar lendo

Nobres colegas, com toda vênia, trata-se de um texto oportunista e totalmente desfocado da verdadeira realidade da tragédia/massacre ocorrido em Suzano- SP. Não se sabe até o presente momento qual foi a real motivação daquele crime, mas tenho certeza não tem nada haver com a flexibilização da posse de arma de fogo promovida pelo governo.

Aquele ato foi praticado por dois infames e desequilibrados mentais dos quais os pais nunca educaram de forma adequada e lhes impuseram limites em suas vidas. O ato praticado se parece muito com atentado terrorista, no entanto, sem causa definida, foi planejado com antecedência, escolheram os alvos, executaram o plano e após deram cabo da própria vida.

Não é possível entender como os pais destes desalmados não notaram nada de diferente nestes elementos, não consigo acreditar que eles não desconfiaram de nada, principalmente, pelo fato de ambos residirem com os pais e/ou parentes próximos. Lamentavelmente, agora é tarde, o estrago já foi feito. Sou solidário com a dor dos parentes das vítimas e das vítimas que graças a Deus conseguiram sobreviver . Mas não posso deixar de dizer que o autor do texto mandou muito mau, este fato nada tem haver com a flexibilização da posse de arma.

Por mais que tivéssemos uma legislação sisuda em relação a posse e o porte de armas, estes desalmados despidos da civilidade e alheios aos limites sociais teriam praticado a mesma barbárie, pois o problema deles eram achar que podiam fazer tudo que bem entendesse, pois são frutos de uma natureza humana perversa desprovida de uma boa educação e de limites. continuar lendo

Em Janaúba-MG, o maluco usou álcool combustível para assassinar crianças. Os malucos de Suzano, além de um revólver .38, utilizaram arma branca e arco e flecha. Os terroristas utilizam veículos para atropelar dezenas de pessoas na rua ou explosivos improvisados. Não acho que o controle de armas de fogo vai alterar este tipo de conduta. Os meios são infinitos para se cometer atrocidades, tudo depende da criatividade do autor. Se eles não tivessem atacado a escola poderiam ter atacado um cinema, ônibus ou bar. Quanto aos detectores, estes existem de todos os tipos, só não inventaram um detector de intenções. continuar lendo

As escolas precisam de detectores de metais!! continuar lendo

Mesmo porque eles também se valeram de armas brancas. continuar lendo

Não adiantará nada, o criminoso sempre encontrará uma maneira de burlar a barreira. continuar lendo

O que adianta um detetor de metais se quem esta armado e com essas intenciones atiraria primeiro em quem esta a cargo do aparelho continuar lendo

Será que os assassinos teriam comprados legalmente as armas e portavam licença?

Explorar esse assunto de uma forma casuística, em função da evidência de uma desgraça ocorrida e que nada tem a ver com a posse de arma em domicílio/trabalho, de forma legal, é no mínimo baldado.

Parece um outdoor da via esquerda. continuar lendo

Isso é praxe da esquerda, tanto a brasileira quanto a americana, ambas amam um massacre do tipo para fazer politicagem com as vítimas inocentes. Eles não esperam nem o corpo esfriar e já começam a destilar seu veneno ideológico. continuar lendo

Sabe, Ricardo, a gente pode até cogitar que o criminoso pudesse ter porte e registro da arma, obtendo-a legalmente, pois já existiram casos assim no exterior, mas a pergunta deveria ser o contrário: será que a proibição evitaria?

Tal como o massacre em Realengo, o massacre agora nos dá fortes indícios que não! A correlação destes crimes com arma de fogo não é causalidade: maníacos querem matar, logo, vão se armar com ou sem proibição.

O resto é sentimentalismo... continuar lendo

existe uma lei de mercado que dita certos valores uma arma hoje ilegal custa muito caro se continuar a política armamentista sim vai cair e muito os preços de armas de menor calibre. sabe se que os atiradores estavam somente com uma arma de fogo modelo velho calibre 38 mais se a política armamentista já estivesse em vigor nada os impediriam de estar com duas pistolas automáticas e que o estrago seria bem maior. continuar lendo

Alex Sandro, um revólver .38 Taurus ou Rossi novo custa entre R$ 3 mil a R$ 3.600. Com traficante, você compra a mesma arma com R$ 600. Aluga por R$ 100. E já municiada!

Tem que entender que com arma legalizada estes dois criminosos não teriam comprado. A começar pelos requisitos necessários — que eles não iriam preencher. Segundo que o preço seria muito maior. Terceiro que os custos envolvidos demandariam mais dinheiro.

Fora que se houver aumento de demanda por armas legais, a tendência é que o preço dela venha subir, e não cair. continuar lendo